Governo do Distrito Federal
22/11/22 às 17h08 - Atualizado em 22/11/22 às 17h08

Embaixada de Israel organiza evento sobre tecnologias para auxiliar no combate à violência contra as mulheres

COMPARTILHAR

Foto: Gerente Executivo do Biotic, Leonardo Reisman, Palestrante e ativista, Lili Ben Ami, Chefe do Escritório de Assuntos Internacionais, Renata Zuquim e o Embaixador de Israel, Daniel Zohar Zonshine.

 

Por intermédio do Escritório de Assuntos Internacionais do Governo do Distrito Federal (EAI/GDF), a Embaixada de Israel no Brasil promoveu uma palestra no Parque Tecnológico de Brasília (BIOTIC), nesta terça-feira (22), com o tema “Tecnologia para combater a violência contra mulheres”.  

 

O encontro integrou a efeméride do dia 25 de novembro, Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra a Mulher, e contou com a participação da ativista israelense, sra. Lili Ben Ami, fundadora da associação “Michal Sela Forum”, que utiliza instrumentos tecnológicos para combater a violência baseada em gênero. 

 

A Embaixada promoveu o diálogo colaborativo entre a ativista de renome internacional e atores governamentais e privados de projetos e políticas públicas que fomentam a proteção à mulher, como forma de pensar novas maneiras de combater a violência contra as mulheres e fortalecer a troca de ideais sobre o assunto. 

 

 

Para a chefe do EAI, Renata Zuquim, “não resta dúvida que a eliminação de toda forma de violência contra mulheres — que retrata violação de direitos humanos — é de fundamental importância para todos aqueles empenhados na construção de uma sociedade mais igualitária, sendo necessária, para tanto, a mobilização de parcerias entre governos, parlamentos, empresas e sociedade civil em torno da causa”.

 

Além do EAI/GDF, a iniciativa teve o apoio da Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP/DF), da Secretaria da Mulher do Distrito Federal (SMDF) e do Parque Tecnológico de Brasília (BioTIC) e reuniu representantes das áreas de ciência, tecnologia e inovações com foco em inteligência artificial e mecanismos de combate a violência contra mulheres e meninas. 

 

 

O embaixador de Israel no Brasil, Daniel Zohar Zonshine, destacou que “o trabalho feito pela sra. Lili é importante para a criação de um ecossistema entre as instituições governamentais, públicas e privadas, que possam garantir a proteção da vida das mulheres”.

 

Segundo a palestrante e ativista, Lili Ben Ami “o Fórum Michal Sela estabeleceu uma meta de zero feminicídios por ano e não vamos parar até atingi-la. É por isso que temos desenvolvido vários projetos criativos e inovadores para salvar a vida de mulheres em suas próprias casas. Esses projetos já estão salvando vidas hoje, por isso é natural, até mesmo vital, que nos unamos para salvar a vida do maior número possível de mulheres e crianças”. 

 

 

Sobre o Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra a Mulher

 

O Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra a Mulher celebra-se anualmente no dia 25 de novembro com o objetivo de denunciar a violência contra as mulheres no mundo todo, ao exigir políticas públicas eficazes para sua erradicação. O mesmo é reconhecido como tal pela Organização das Nações Unidas (ONU) desde 1999.

 

O dia 25 de novembro foi escolhido em homenagem às irmãs Patria, María Teresa e Minerva Maribal, que foram violentamente torturadas e assassinadas nesta mesma data, em 1960, a mando do ditador da República Dominicana Rafael Trujillo. As irmãs dominicanas eram conhecidas como “Las Mariposas” e lutavam por melhores condições de vida na República Dominicana.

 

Como eliminar todas as formas de violência contra as mulheres e meninas nas esferas públicas e privadas é uma das metas do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 5 — Igualdade de Gênero —,  a data visa alertar a sociedade sobre os casos de violência e maus tratos contra as mulheres. A violência física, psicológica e o assédio sexual são exemplos.

 

 

Sobre o “Michal Sela Fórum”

 

Em outubro de 2019, a assistente social Michal Sela foi brutalmente assassinada por seu companheiro e pai de sua filha de oito meses. A partir do luto, a irmã de Michal, Lili Ben Ami, decidiu agir para salvar uma próxima Michal — uma próxima mulher que poderia ser assassinada. Ela fundou o “Michal Sela Forum”, uma organização sem fins lucrativos que trabalha para salvar vidas e prevenir a violência contra a mulher por meio de inovação, tecnologia e pensamento “fora da caixa”.

 

Marcou a meta de “zero assassinatos por ano” e inundou as esferas públicas com um novo discurso, o qual cunhou, em Israel, o slogan “que a memória dela seja uma revolução”. Um dos principais objetivos traçados por Lili foi sensibilizar e mudar o discurso sobre a violência doméstica — de um discurso de problemas e vitimização para um discurso de soluções, solidariedade e poder.

 

O Fórum sediou grandes competições nacionais para inventar startups de tecnologia que salvam vidas de mulheres vítimas de violência, hackathons, aceleradores, projetos inovadores como o “Michal Selah Canines” e o “Michal’s Watch” para a proteção de mulheres ameaçadas, programas educacionais e campanhas públicas nacionais — incluindo o “Cinco sinais de alerta em relacionamentos”. Lili desempenhou um papel fundamental na legislação mais significativa no campo da violência doméstica nos últimos anos: a negação de tutela a um pai condenado por homicídio ou tentativa de homicídio de sua cônjuge.

 

Lili, que se tornou uma lutadora da noite para o dia pelas mulheres vítimas de violência, apoia e fortalece pessoalmente muitas mulheres que estão em relacionamentos abusivos e trabalha constantemente com dedicação e profundo senso de missão para salvar vidas e prevenir o próximo assassinato.

 

Escritório de Assuntos Internacionais - Governo do Distrito Federal

EAI-DF

Anexo do Palácio do Buriti, 2º andar,
Sala 211 - CEP: 70075-900
Telefone: (61) 3961-4685
escritorio.internacional@buriti.df.gov.br